sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Agora, Londrix 2009

Amigos,
no dia 25 de setembro, próxima sexta-feira, estarei no 5. Londrix – festival literário de Londrina, onde faço palestra sobre a poética de Paulo Leminski. Um privilégio, pois estarei trabalhando ao lado de almas sensíveis e de poetas como Marco Vasques (meu amigo de Floripa), Marcos Losnak (espécie rara de coyote), Rodrigo Garcia Lopes (ainda vamos encenar, juntos, Ramelete e Maquebete, para desopilar grilhões), e outras almas que ainda encontrarei.
O Londrix, este ano, homenageia Leminski, o poeta do Pilarzinho.
Como diria Ezra Pound, “não se pode ensinar literatura para alguém, mas se pode nitidamente ensinar alguém a distinguir entre uma e outra espécie de livros”.
Na minha palestra, vou tentar abordar o Paideuma leminskiano. Para desopilar grilhões. É melhor do que brincar de ludo-ludo-real.

Toninho Vaz, autor de O Bandido que sabia latim

2 comentários:

Cine Mosquito disse...

Mestre querido. Recentemente reli a Biografia do Leminski e agora ela me pegou de jeito mesmo! "Foi mar de lágrimas para todo que é lado".
Grande abraço, sucesso nesta tua empreitada de manter viva a memória do nosso POETA MAIOR, o querido Paulo Leminski.
Grande abraço
(JIDDU)

Toninho Vaz disse...

Ok, Jiddu, você sabe, poesia é coisa séria. O privilégio é poder estar com pessoas sensíveis e outros tantos poetas. Como dizia o Paulo, “quem lê poesia também é poeta, ainda que não escreva poesia” – que já é outra coisa...

Grande abraço