quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Memória analógica III


Esta foto feita no pré-carnaval de 1991, durante reportagem para a TV Globo, serve como registro da volta de Paulinho da Viola à Portela, depois de anos de afastamento – período em que se tornou folião, compositor e ritmista da Tradição.
O cinegrafista José de Arimatéia, trocando por um instante de câmera, mostra o estado maior do samba carioca, a partir da esquerda: José Carlos (produtor de TV), Seu Alberto, Argemiro e Casquinha, da Portela; Paulinho da Viola e a turma da Mangueira: Xangô, Comprido e Darcy do Cavaco; e Dulce (produtora).
São grandes nomes da velha guarda das duas escolas, sendo que a Mangueira era a convidada especial de Paulinho para a gravação do seu comentário semanal. Eu era o editor – um curitibano no reino d’África.
Depois da gravação, que aconteceu na quadra da Portela, fomos para um botequim ao lado da escola, em Madureira, onde o samba seguiu o padrão dos bambas. Na mesa, cerveja e linguicinha no palito – nesta época, ainda com trema.

Toninho Vaz

2 comentários:

vinícius alves disse...

Toninho tá com tudo e não tá prosa. beleza, mano véio.

amprex do vinE

Leila Pugnaloni disse...

QUEM NÃO GOSTA DE SAMBA...