sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Extra! Extra! Solar da Fossa

Foto histórica do casarão colonial, feita pelo Malta na entrada do tunel de Copacabana, onde, décadas depois, seria instalado o lendário Solar da Fossa. Hoje temos ali o shopping Rio Sul.

Amigos, leitores, a quem interessar:

O juiz de Direito, Sérgio de Arruda Fernandes, da 21ª. Vara Cível do Rio de Janeiro julgou procedente a ação judicial que, através de minha advogada, Tânia Borges, impetrei contra a editora Record há um ano exatamente. A ação visava impedir que a Record efetivasse a impressão e distribuição fraudulentas do meu livro “Histórias e canções do Solar da Fossa” (título de contrato e de trabalho). Com a informação confidencial de que a editora estava imprimindo 3 mil exemplares do livro, na calada da noite e à revelia do autor, encaminhei pedido de liminar ao juiz que, em prazo de 48 horas, acatou o apelo. Os livros – impressos de maneira tosca e irresponsável (sem fotos e prefácio)– foram interceptados pelo oficial de justiça quando eram colocados nos caminhões para distribuição nacional.
Um ano se passou.
Em sentença datada do último dia 26 de janeiro, o juiz reconhece que houve quebra de contrato por parte da Record, que negligenciou nos prazos preestabelecidos, permitindo que o mesmo perdesse o seu valor. Assim, o autor, Toninho Vaz, por decisão judicial, deve ser empossado de todos os direitos sobre a obra e, para não prejudicá-lo na tarefa de renegociar o livro com outra editora, a Record deverá mandar publicar – por dois dias intercalados –, em jornal carioca de grande circulação, notícia dando conhecimento público da decisão judicial. Em tamanho 20 x 20 cm. O juiz também condenou a ré aos pagamentos de custas processuais e honorários advocatícios.
Aguarda-se a publicação em Diário Oficial, o que deve acontecer na próxima segunda feira, dia 1º de fevereiro 2010.

8 comentários:

vermelho disse...

É isso aí, meu camarada!!...Essas pessoas precisam entender que vivemos num estado de Direito onde os contratos tem que ser acatados, respeitados e cumpridos. Isso aqui não é a casa da mãe Joana, não! (aliás, donde vem essa expressão, heim?...quem foi mãe Joana?).

Leila Pugnaloni disse...

Beleza, Toninho!
Venceu o bom senso.
O melhor vai ser ler o livro finalmente...bj

Toninho Vaz disse...

Toninho,
estamos na torcida pela vitória final, que vai ser a vitória contra a falta de respeito de uma editora.
Até lá,

Rogério Marques

Bruno Cave disse...

Parabéns pela vitória, Toninho!! Vc merece!

Egeu Laus disse...

Toninho,
Seu esforço vai servir de exemplo para muitos.
Um abraco de agradecimento.

Toninho Vaz disse...

Agradeço a soledariedade, meninos... A batalha ainda não foi vencida, pois eles (a Record) deve recorrer da decisão judicial. Devem apelar (eles sao mestres nestas falcatruas)
Mas calado eu não fico.

toninho vaz

Gutemberg disse...

Grande Toninho, é isso aí! Parabéns por mais esta vitória. Agora, meu camarada, é esperar pra 'ler'.
Abração,
Guto.

José disse...

Aleluia,sócio!
Já era tempo...
Abraços!